outubro, 2013



The Wrong: Primeira bienal “errada” de arte digital

31 out


Entre 1º de novembro e 31 de dezembro de 2013, acontece a “The Wrong”, primeira bienal online envolvendo grandes talentos da arte digital nacionais e internacionais. O projeto foi idealizado por David Quiles Guilló, espanhol residente no Brasil, e por sua esposa, a brasileira Graziela Calfat.

Uma equipe de 30 curadores foi selecionada para apresentar o melhor desse universo. A bienal será dividida em pavilhões, espaços virtuais em que se expõem as obras selecionadas. No total serão 30 pavilhões online, incluindo um pavilhão ilimitado aberto à participação pública e um “meta” pavilhão com o trabalho dos curadores.

Cada um dos pavilhões online terá um curador responsável e reunirá, no mínimo, dez artistas. Já o pavilhão aberto ao público funciona da seguinte forma: artistas e interessados em participar do evento, que não foram convidados por nenhum curador, podem enviar sua obra aos dois curadores desse espaço.

Além disso, diversas cidades ao redor do mundo, como Barcelona, Rio de Janeiro, Los Angeles, Nova York e Montevidéu, terão embaixadas do The Wrong, onde haverá a experiência física da Bienal Digital, com shows ao vivo, workshops e exposições.

 
 

Menu Afetivo da Semana

29 out

 
 

Quando Banksy encontrou Osgemeos

25 out

Principal nome da street art mundial atualmente, Banksy está fazendo um mês de “residência” em Nova York, criando uma obra por dia, em uma enorme exposição pública e espalhada chamada “Better Out Than In“. E foi entre uma avenida movimentada e uma ruela tranquila e silenciosa, e exatamente embaixo do High Line, em Nova York, Banksy escolheu o cenário de sua décima oitava obra neste mês, e talvez a mais marcante da série – isso porque a obra é uma coprodução do britânico com a dupla brasileira Osgemeos.

Com três seguranças cuidando das peças, uma pequena multidão se aglomera na frente da porta de ferro – propriedade privada, alugada pelos artistas, como frisou diversas vezes o segurança. Dentre as obras que Banksy vêm espalhando por Nova York, esta é a primeira em parceria com outro artista. E, assim como Banksy, os irmãos Otávio e Gustavo Pandolfo, Osgemeos, saíram do underground paulistano para colocar suas obras dentro de grandes e renomadas galerias e museus, e são hoje um dos mais renomados artistas da arte de rua mundo afora.

 
 

Playlist da Zazá: Jill Scott

24 out

Quem anda tocando na nossa vitrolinha esses dias é a cantora e compositora norte-americana Jill Scott. Dona de uma voz suave mas poderoza, Jill bebeu nas fonte tanto do R&B, quanto do Hip Hop, para criar um som que é todo dela. Hoje, a gente mostra pra vocês “A Long Walk”. Aperta o play!

 
 

Menu Afetivo da Semana

22 out

 
 

Sonhos de um Sedutor

17 out

Estreia na próxima quinta-feira, 24 de outubro, “Sonhos de um Sedutor”, versão brasileira para o clássico de Woody Allen, no Teatro Ipanema. A peça tem George Sauma, Luana Piovani, Heitor Martinez e Georgiana Góes no elenco, direção de Ernesto Piccolo e direção de movimento de Deborah Colker. Aqui no Zazá Bistrô, nós vamos sortear um par de convites para a semana do dia 31 entre os nossos fãs no Facebook.

Na peça, George Sauma faz o franzino e inseguro Allen Felix, que acaba de ser deixado por sua mulher Nancy (Georgiana Góes), que o acusa de ser só “um espectador da vida”. Entre uma dose de aspirinas e outra, é visitado pelo casal de amigos Dick (Heitor Martinez) e Linda (Luana Piovani) que tenta lhe apresentar novas garotas em encontros desastrosos, enquanto um imaginário Humphrey Bogart lhe dá conselhos.

Quer assistir à peça como nosso convidado? Então passa na nossa Fan Page e veja como participar do sorteio.

 
 

Menu Afetivo da semana!

16 out

Nosso menu afetivo dessa semana está cheio de delícias saindo quentinhas do forno. Galeto com risoto de manjericão e molho de alcaparras; carne louca com aipim na manteiga de garrafa e saladinha de agrião;  e espaguete de frutos do mar ao siciliano e manjericão estão entre as tentações do almoço aqui no Zazá  Bistrô!  Venham todos!

Sexta-feira do Mar

Espaguete de frutos do mar ao siciliano e manjericão

 
 

Tá chovendo hamburguer

14 out

 
No Comments

Posted in Mídia

 

Dicas para um Piquenique cheio de charme

11 out

O fim de semana está aqui batendo na porta e, segundo a previsão do tempo, o sol vai brilhar forte no Rio. Que tal aproveitar os dias lindos para fazer um piquenique? Hoje, a gente trouxe pra vocês dicas para deixar o seu programa ainda mais charmoso. Aí é só escolher o parque e preparar as comidinhas!

1) Não pode faltar: um tecido confortável e almofadas para sentar!

2) Uma cesta charmosa serve para, além de transportar os quitutes, decorar o piquenique.

3) Garrafas térmicas ajudam a manter as bebidinhas na temperatura certa

4) Potes de conserva são super chamosos para porções individuais

5) Um carrinho de mão pode ser uma alternativa bacana para o cooler

 
 

Pra brindar à quinta-feira: três caipirinhas especiais

10 out

Dizem por aí, que a quinta-feira é a nova sexta. Exageros a parte, quinta é aquele dia gostoso, quando a gente já quase pode ver o fim de semana, de tão pertinho que ele está. E para dar um folego extra, para levarmos com sorriso no rosto as últimas horas da semana, nada melhor que tomar um drinque gostoso. Hoje, separamos três receitas bacanérrimas, de caipirinhas diferentes. Anotem!

Caipirinha de caju com limão

Ingredientes
1/2 caju com casca;
1/2 limão-taiti;
1 colher (sobremesa) de açúcar;
75 ml de cachaça envelhecida;
Gelo.

Modo de fazer
1
Corte a metade do caju com casca em fatias bem fininhas. Faça o mesmo com o limão, tendo o cuidado de retirar o miolo branco. Coloque tudo em um copo para caipirinha.
2 Acrescente o açúcar. Macere bem.
3 Complete o copo com gelo até a borda.
4 Coloque os 75 ml de cachaça.
5 Misture bem com um mexedor.

Caipirinha de tangerina com pimenta dedo de moça

Ingredientes
1/2 tangerina com casca;
75 ml de cachaça envelhecida;
1 pimenta dedo-de-moça inteira;
1 colher (sobremesa) de açúcar;
Gelo.

Modo de fazer
1
Corte a metade da tangerina com casca em fatias bem fininhas. Coloque tudo em um copo para caipirinha.
2 Acrescente o açúcar. Macere bem.
3 Complete o copo com gelo até a borda.
4 Coloque os 75 ml de cachaça.
5 Misture bem com um mexedor.
6 Corte a pimenta dedo-de-moça ao meio, elimine as sementes e acrescente ao drinque.

Caipirinha três limões

Ingredientes
1/2 limão-taiti com casca;
1/2 limão-rosa com casca;
1/2 limão-siciliano com casca;
2 colheres (sobremesa) de açúcar;
75 ml de cachaça envelhecida;
Gelo.

Modo de fazer
1
Corte os limões com casca em fatias bem fininhas, tendo o cuidado de retirar o miolo branco. Coloque tudo em um copo para caipirinha.
2 Acrescente o açúcar. Macere bem.
3 Complete o copo com gelo até a borda.
4 Coloque os 75 ml de cachaça.
5 Misture bem com um mexedor.

Fonte: Casa e Comida

 
 

Menu Afetivo da Semana

08 out

 
 

O melhor lugar para comemorar o Dia das Crianças

05 out

 
No Comments

Posted in Mídia

 

Playlist da Zazá: Luisa Maita

04 out

Quem tá tocando direto aqui na nossa vitrolinha é a paulistana Luisa Maita, nome fortíssimo da nova safra de artistas da MPB. Quer conhecer um pouquinho da história da moça?

A inspiração de Luísa Maita vem da tradição musical brasileira na mesma intensidade com que frequenta o pop americano. Para Luísa, não há diferença sensível entre João Gilberto e Michael Jackson, Nana Caymmi e Beyoncé, funk carioca e R&B como mostra seu primeiro álbum, “Lero-Lero”, lançado no Brasil pelo selo Oi Música e no resto do mundo pela Cumbancha/Putumayo.

Como compositora, Luísa é uma cronista que não só observa, mas participa da cidade, caminha pelas avenidas e vielas do centro e da periferia à procura de estalos poéticos e melódicos. Como cantora, usa sua sensualidade de forma sutil. Parece mesmo ter encontrado a medida certa para, em suas próprias palavras, “atingir o máximo de expressão com o mínimo de afetação”.

Agora, pra conhecer de verdade o trabalho da artista, dá um play no vídeo abaixo:

 
 

Eating in NYC – Dicas pessoais

03 out

Acabei de voltar de mais uma semana em NYC.

Sobre a grande maçã, sempre há de se ter dicas de guias, sites e amigos. Sempre um jeito novo de olhar. E as dicas de restaurante em geral coincidem, pois sempre temos “aquelas” imperdíveis, onde quase se caminha tickando: tantas estrelas em tais e quais guias, todos querem ir. Deve ser bom.

Mas, então, se você está para viajar e quiser acrescentar mais algumas, escolhi a dedo algumas poucas sugestões particulares e despretensiosas. Experiências que ao final nos ajudam a dizer: “que delícia é a vida!”.

1) ALTA Restaurant

64 west com 10th, entre a 5th e 6 st

Sempre que vou a NY, dou uma passadinha nesse restô só de tapas e mini degustações. Aliadas a um bom rosé, imbatível para ir com amigos e conversar muito. Só abre no final da tarde para diante;

2) Café Mogador

101, St Marks Place

Restaurante fofo, preço ótimo e comida ídem. Sempre cheio de gente jovem, bonita e descolada. É dos que eu sempre volto e fico feliz que continue a existir. Fico sempre entre a pastilla marroquina e o tagine de cordeiro com frutas secas.

3) Takashi

456 Hudson St

Esse experimentei pela primeira vez, levada por uma amiga novairquina que sabe das coisas. É um japa diferente. Meio coreano. Menu raro de carnes – todas orgânicas – irreverentes. Língua, bochecha de porco, miolo. Parece estranho? Mas é muito, muito bom. Aventure-se.

4) Chelsea Market

9th Av

Para lagostas e outras cositas más…Nada, nada chique, nenhum glamour, mas… delicia! Vc escolhe a bicha e eles ferventam e te dao numa bandeja de plastico com azeite , sal . você vai se sujar, se lambuzar. Meio grotesco, mas vale a pena mesmo. E se não se animar com a lagosta, lá tem várias opções de restaurantinhos, bodeguinhas, comidinhas. Lojinhas com milhões de opções de azeite, balsâmicos, sais.  Programão.

5) Eataly

200 5th Ave

Versão chique e Italiana do Chelsea Market. Além de poder comer no mercado tem um restaurante descoladerrimo no roof.

6) Tamarind
41-43 E 22nd St

Esse conheci no ano passado, mas entrou na lista dos queridos. Indiano perfeito. Tem em 2 endereços.  É meio caro, mas na hora do almoço tem um menu executivo incrível por um preço melhor ainda. É para se voltar.

E para compensar tanta comida boa a dica é andar. E andar. O máximo possível. Ou então, recomendo alugar uma dessas bicicletas azuis, exatamente como as laranjinhas aqui do Rio. Custa apenas 11 dólares por dia (já com taxas) e tem em tudo quanto é canto. Mas o chato é que não dá para alugar com cartão de crédito internacional. Tem que ter algum amigo com cartão americano para alugar para você. Resolvido isso, vale a pena sair pelas ruas de NYC, parando a cada meia hora numa estação para trocar a bike (é obrigatório) e tentar ir a Williansburg pela ponte. Programão. A ponte tem uma ciclovia incrível. Depois é passear por Williansburg, para onde toda a galera do Soho/East Village  migrou e se for num sábado, vá na feirinha de comidas.  E se achar que não tem condições de voltar pedalando, é só deixar a bike numa das estações e voltar de taxi. Ou metrô.

 
 

Fama internacional

01 out

 
No Comments

Posted in Mídia

 

Menu Afetivo da Semana

01 out